quinta-feira, 8 de abril de 2010

Navegantes corre risco de perder vôos

A capela mortuária de um cemitério em construção preocupa os órgãos controladores do espaço aéreo brasileiro. A obra fica em um terreno de 7,5 mil metros quadrados ao lado da cabeceira da pista do Aeroporto Internacional de Navegantes . O 5º Comando Áereo Regional (Comar) da Região Sul do país, em Canoas, afirma que a altura da capela, somada à altura do terreno, ultrapassa em um metro o permitido para obras no entorno do aeroporto.

Em razão disso, o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta II), sediado em Curitiba, determinou na semana passada o recuo em 50 metros da pista do aeroporto, que tem 1,7 km de extensão. A superintendência da Infraero de Navegantes afirmou que a medida pode acarretar no cancelamento dos 10 voos noturnos no Ministro Victor Konder.

O dono do terreno onde o cemitério está sendo construído é o vereador Ezequiel Antero Rocha Júnior (PMDB). A obra foi autorizada em 2007, quando ele era Secretário de Planejamento de Navegantes. Conforme disse Rocha, a execução da obra foi liberada pelo Comar. Contudo, sustenta que a medida aferida pelo órgão não está correta.

– A obra não está influenciando em nada o aeroporto. Me deram parecer liberando a obra. O que se discute agora é a altura, mas não é nada demais – avalia Rocha.

No entando, o tenente-coronel Antonio Carlos Ponce Alonso, comandante do 5º Comar em Canoas, afirma que a obra está irregular e não há falso entendimento a respeito da altura do terreno. Segundo o comandante, a prefeitura de Navegantes sabe dos riscos da obra do cemitério e deve exigir a imediata modificação do projeto.

– Um centímetro acima do permitido faz diferença. Imagine um metro. Não podemos admitir isto. A nossa obrigação é resguardar as zonas próximas aos aeroportos e o que for irregular tem que ser modificado – afirma o comandante Alonso.

O prefeito de Navegantes, Roberto Carlos de Souza (PSDB), abranda a discussão e diz que o Comar e a prefeitura irão solucionar, nas palavras dele, da melhor maneira possível.

– Tudo bem que a altura da capela esteja acima do permitido. Mas ali mesmo tem um abacateiro muito mais alto – salienta Souza.

O gerente de Operações do Aeroporto de Navegantes, Gil de Castro Gandra Filho, apontou que o recuo da pista em 50 metros não prejudica os voos diurnos. Desde que a visibilidade esteja em 100%.

– Porém, à noite, os pilotos podem optar por não pousar em Navegantes e o Ministério da Defesa cancelar esse voos. É um absurdo que a obra de um cemitério prejudique as operações em Navegantes –argumenta Filho.

5 comentários:

+Vitor+ disse...

Ué, e estão esperando o quê pra meter a marreta nessa capela de uma vez por todas. Tá irregular? Demolição sumária. Brasil é uma M* mesmo...

Navegantes Spotting disse...

como diz meu amigo , é uma "burrocraia" danada!
é uma palhaçada Navegantes perder 10 voos por causa de um cemiterio

Anônimo disse...

Mais palhaçada ainda por ser 1 metro, e ter que recuar 50 metros é injusto, este país é injusto!!

Anônimo disse...

É o fim.... Já basta este estado não ter NADA a oferecer para as boas empresas se instalarem aqui, agora vão prejudicar o turismo. Fechem esta droga de aeroporto de uma vez e vão viver de plantar aipim..é só isto que resta mesmo.

PROJETO HOME COCKPIT 737NG disse...

FAZ UMA FOTO DA CAPELA PARA NOS